Madrugada














Quando me perco na madrugada
E depois me encontro em ti
É como se a magia do tempo
Tomasse conta de mim

Meu coração se descompassa
À medida que te vê
E meu corpo te pede tanto
Meu universo passa a ser você

E me entrego com sensualidade
Perco o rumo, perco o chão
E me completo por inteira
Corpo, alma e coração.




 Fagner - Fanatismo

3 comentários:

  1. gosto daqui. é muito bom voltar ao teu blog.
    Um feliz final de semana.
    Maurizio

    ResponderExcluir
  2. Perder-se assim na madrugada,
    deve ser muito bom.
    Difícil vai ser depois,
    achar o rumo certo!

    Beijossss

    ResponderExcluir
  3. Madrugadas insones,
    produzem poesias,
    que só a alma de quem amou,
    sabem produzir!

    Que tenhamos (perdão...!!!),
    mais noites de insonia...

    Beijos

    ResponderExcluir